MULHERES TRAÍDAS

  • Como se traição fosse somente o homem sair com outra(s) apenas.
  • Quando a mentira, a falsa ideologia, a palavra que não é cumprida, as calúnias contadas aos amigos, a falta de tolerância, a falta de valoração se passam por verdades?????
  • Apesar de tudo ainda há amor?
  • Quantas vezes há de se dar a face do rosto para bater?
  • Quantas vezes as portas serão batidas e trincarão os corações?
  • Quantas vezes as chaves serão trocadas por falta de confiança?
  • Até quando os homens poderão errar mais com a desculpa de que sair com outra mulher é a pior coisa que poderia acontecer?
  • Quantas outras coisas erradas pelas costas são feitas todos os dias?
  • A falha de caráter está na educação social emocional de seu povo.
  • A música não pode parar, a vida há de continuar nessa baladinha de sexo drogas e rock and roll?
  • Não quero ser cúmplice dessa idiotice alheia a mim.
  • As mulheres e os homens precisam quebrar esses padrões impostos pela sociedade, caso contrario viverão sofrendo os revezes de uma sub cultura dominadora a procura de poder. 
  • O verdadeiro amor por nós mesmos está cada vez mais difícil de ser encontrado, vem sendo confundido com esses instintos de defesa animalescos como mostram os fatos diários.
  • O amor próprio só faz bem e impede que façamos ao outro o que não gostaríamos que fizessem a nós. Se conseguirmos pensar assim, muita coisa insalubre deixará de acontecer.
  • Por amor próprio não se mata, não se destrói, ama-se cada vez mais a vida dentro e fora de nós.

 

Ama o próximo como a si mesmo.

 

(Joana Andrade)

 

 

DADOS NACIONAIS SOBRE VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES

   

Apesar de ser um crime e grave violação de direitos humanos, a violência contra as mulheres segue vitimando milhares de brasileiras reiteradamente: 38,72% das mulheres em situação de violência sofrem agressões diariamente; para 33,86%, a agressão é semanal. Esses dados foram divulgados no Balanço dos atendimentos realizados de janeiro a outubro de 2015 pela Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR).

 

Dos relatos de violência registrados na Central de Atendimento nos dez primeiros meses de 2015, 85,85% corresponderam a situações de violência doméstica e familiar contra as mulheres.

 

Em 67,36% dos relatos, as violências foram cometidas por homens com quem as vítimas tinham ou já tiveram algum vínculo afetivo: companheiros, cônjuges, namorados ou amantes, ex-companheiros, ex-cônjuges, ex-namorados ou ex-amantes das vítimas. Já em cerca de 27% dos casos, o agressor era um familiar, amigo, vizinho ou conhecido.

 

Em relação ao momento em que a violência começou dentro do relacionamento, os atendimentos de 2014 revelaram que os episódios de violência acontecem desde o início da relação (13,68%) ou de um até cinco anos (30,45%).

 

Nos dez primeiros meses de 2015, do total de 63.090 denúncias de violência contra a mulher, 31.432 corresponderam a denúncias de violência física (49,82%), 19.182 de violência psicológica (30,40%), 4.627 de violência moral (7,33%), 1.382 de violência patrimonial (2,19%), 3.064 de violência sexual (4,86%), 3.071 de cárcere privado (1,76%) e 332 envolvendo tráfico (0,53%).Os atendimentos registrados pelo Ligue 180 revelaram que 77,83% das vítimas possuem filhos (as) e que 80,42% desses (as) filhos(as) presenciaram ou sofreram a violência.

 

Dos atendimentos registrados em 2014, 77,83% das vítimas tinham filhos, sendo que 80,42% presenciaram ou sofreram a violência juntamente com as mães.

 

Texto extraído do site:   http://www.compromissoeatitude.org.br/dados-nacionais-sobre-violencia-contra-a-mulher